Saiba qual cola certa usar para seu projeto

Unir duas peças é uma das habilidades mais básicas para qualquer artesão! Entretanto, esta descrição é traiçoeira. Como já mostramos, coisas tão simples quanto bater um prego muitas vezes escondem alguns segredos. Por isso, hoje vamos mostrar um assunto extremamente rico, e pouco conhecido: os adesivos! Acompanhe só:

Do grude à tecnologia espacial
ancient amber

Adesivos são uma maneira muito prática de criar uniões permanentes. É muito mais fácil usar cola que costurar duas folhas de papel juntas, ou usar um monte de grampos, não é mesmo? Adesivos aproveitam melhor a superfície de contato disponível, distribuindo melhor qualquer força exercida na junta, custam pouco e são fáceis de aplicar.

Não é a toa que a humanidade faz uso deles já há uns bons 200.000 anos! É desta época o primeiro registro do uso de adesivo. Nossos ancestrais primitivos usavam alcatrão, derivado de madeira queimada, para prender pontas de flecha e machados nessa época.

Em torno de 4.000 AC vários povos já conheciam uma grande variedade de colas diferentes. Já encontramos indícios do uso de adesivo derivado de seiva de planta e piche em diversas estátuas e utensílios. Outras alternativas eram a cera de abelha e também a proteína do leite para trabalhos mais delicados, como em papiro e couro. Durante milênios, os adesivos extraídos do látex e de proteínas animais eram nossas únicas opções.

A grande revolução nesta área veio mesmo durante a Primeira Guerra Mundial. Para ajudar nos esforços de guerra, muitos laboratórios começaram a procurar maneiras mais eficientes de fabricar utensílios e veículos militares. Os poderosos adesivos sintéticos que usamos hoje têm origem aí.

Mas e hoje? Que colas temos disponíveis?

Existem muitas maneiras de classificar os adesivos, como pela sua origem, mecanismo de funcionamento ou componentes. Aqui, como o que nos interessa mais é a sua aplicação prática, vamos nos centrar nos tipos mais comuns (e úteis) que encontramos no mercado:

Acetato de Polivinila (PVA), o mais comum.
Applying Glue

Não se assuste com o nome. Esta é a cola que melhor conhecemos! Aquela cola branca de escola mesmo é uma PVA, assim como a cola amarela de madeira. Este adesivo vêm em uma emulsão com água. A união das peças só é realizada quando a água desta emulsão evapora (ou seja, quando a cola “seca”).

Ela é excelente para materiais porosos, como madeira e papel e até mesmo alguns tecidos. Não é tóxica e é bastante fácil de manusear. Se aplicada com cuidado cria uma união de boa resistência, sem fazer sujeira e a baixíssimo custo. O seu ponto fraco é que ela é solúvel em água. Então não serve para ambientes úmidos ou áreas externas.

A cola PVA é um liquido branco, normalmente vendido em garrafas plásticas. É recomendada para uso em materiais porosos – madeira, papel, tecido, cerâmica porosa e junção não estrutural de madeira com madeira. Não é resistente à água. É preciso prender as duas superfícies com um grampo durante 30 minutos a 1 hora para que a cola fique firme, o tempo de secagem total é de 18 a 24 horas. Barata e não-inflamável, a cola PVA fica clara quando seca.

Termoplásticos: os superversáteis

Hot glue gun

Esta é a categoria da famosa cola quente! Aquele bastão que você coloca no aplicador é um termoplástico. Isto significa que ele é um polímero que pode mudar de fase (ser derretido, em bom português) e depois retornar à fase original sem estragar.

Seu funcionamento é muito simples! O aplicador possui uma resistência elétrica que derrete a cola. O material derretido é aplicado entre as superfícies e, quando voltar à temperatura normal, torna-se sólido novamente, unindo as duas.

É um adesivo muito versátil, que funciona com os mais diversos tipos de material. Ele também não sofre redução de volume na cura, como a PVA (que perde a massa da água durante a evaporação). A desvantagem no seu uso é que ela não lida bem com o calor nem com superfícies muito lisas, como azulejos e vidros.

A cola mais comum, que encontramos baratinho no mercado é a base de EVA. Mas existem termoplásticos de alto desempenho no mercado, com aplicação em alta temperatura. Entretanto, você (provavelmente) não precisa e nem deve comprar uma dessas.

Epóxi: o barra pesada
Tubes With Epoxy Glue

Quase o oposto dos termoplásticos, os adesivos epóxi são chamados termofixos. Quer dizer, ele não amolece com o calor (se você esquentar o suficiente ele se decompõe!). O processo de “cura” desses adesivos é feito através do uso de um agente catalisador. Como são compostos de duas partes, eles são classificados como bicomponentes. Muito criativo!

Atenção: nem todo adesivo bicomponente é um epóxi! Como os epóxis são mais comuns no mercado, vamos no ater a eles por aqui.

Adesivos epóxi são absurdamente resistentes após a cura. Resistem a água, ácidos e conseguem unir uma grande variedade de materiais entre si, mesmo em condições difíceis. A sua aplicação, entretanto, não é das mais práticas. Em geral são adesivos muito viscosos, que exigem um pouco mais de habilidade para aplicar. É fácil fazer uma sujeira com eles e, ainda por cima, tem cheiro forte e bem ruim. Use sempre em local ventilado!

O preparo do adesivo deve ser preciso. Leia com atenção as instruções na embalagem e certifique-se de usar a quantidade correta de catalisador em cada preparo! Uma vez misturado, o adesivo só pode ser aplicado por alguns minutos, e depois leva até 24 horas para curar completamente. Com isso, o desperdício é sempre um problema.

Dito isso, adesivos epóxi são escolha certa em trabalhos “barra pesada” como metais, pedra, azulejos e concreto. A pia da sua cozinha provavelmente é presa à bancada com um adesivo epóxi, por exemplo. Dependendo de onde você leva seu carro para fazer manutenção, algumas peças dele também!

Consistem de duas partes – resina e endurecedor – que devem ser muito bem misturadas imediatamente antes do uso. São muito fortes, duráveis e resistentes à água.

As colas epóxis são recomendados para uso em metal, cerâmicas, alguns plásticos e borracha e não são recomendados para superfícies flexíveis.

O tempo de secagem da cola epóxi é de cerca de 12 horas; o tempo de cura total ocorre em 24 hs. Quando seca, o epóxi fica claro ou âmbar e é geralmente mais caro do que outros tipos de adesivos industriais.

Cianoacrilato: o “colei meus dedos de novo”
Drop from tube of glue

Este componente químico tem uma história muito interessante! A substância estava sendo pesquisada originalmente para fabricar miras de plástico supertransparente, durante a segunda guerra mundial. Foi uma descoberta meio por acaso. De lá para cá passou por diversos usos, desde o fechamento de feridas de bala no front, até o tratamento de tartarugas (!) e recolhimento de impressões digitais em cenas de crime (!!).

Ele é o componente principal das supercolas que todos conhecemos e já colamos nossos dedos sem querer com elas. Colas de cianoacrilato têm uma quantidade absurda de usos diferentes, como aeromodelismo, reparo de xícaras quebradas da sua tia e a prototipagem de eletrônicos.

Quando curada, essa cola fica bastante dura, o que a torna ruim para colar superfícies flexíveis, como borracha e couro. Quando dobrada, ela simplesmente quebra! É importante tomar cuidado com ela, já que tem o cheiro muito forte e tempo de cura muito rápido. Se por um lado, isto é bem prático, por outro, dá uma margem muito pequena para erros. Cuidado redobrado quando estiver usando este adesivo!

Um aviso MUITO importante: cianoacrilato reage mal com fibras naturais, como o algodão. A reação emite muito calor, e pode provocar queimaduras na pele. Se precisar colar algodão, use a cola quente, ou cola branca que é melhor.

Estes são apenas algumas das colas mais comuns. Existem adesivos próprios para acrílico, vidro, colas de cura UV e muitas outras.

Também chamado de super cola ou cola instantânea.
Os adesivos instantâneos tem como principal vantagem a sua secagem rapida.

Essas colas formam uma liga muito forte e são recomendadas para uso em materiais tais como metal, cerâmica, vidro, alguns plásticos e borracha e não são recomendadas para superfícies flexíveis. Aplique com moderação. Não é necessário usar grampos e o tempo de cura total é de 24 hs.

Os adesivos instantâneos de cianoacrilato ficam claros quando secam

Colas de Contato

Colas de contato à base de borracha vendido em garrafas ou latas, o preenchimento de contato é recomendado para colar laminados, folheados e outras áreas grandes e para reparos. Pode também ser usado em papel, couro, tecido, borracha, metal, vidro e alguns plásticos porque permanece flexível quando seca. Não é recomendado para reparos onde há esforço.

Deve-se aplicá-lo nas duas superfícies e aguardar um tempo; as superfícies são então pressionadas uma contra a outra para se ter uma colagem prévia.

Não é possível reposicionar as peças depois que for feito o contato.

Não é necessário o uso de grampo; a cura está completa quando secar.

Normalmente as colas de contato são muito inflamáveis.

Adesivos Estruturais

Adesivo estrutural são colas geralmente a base de metacrilato indicados para aderir metais, plásticos e vidros onde se permiti uma excelência resistência mesmo onde existe impactos e peeling, em muitos casos substituindo soldas.

O adesivo estrutural possui secagem rápida previa e sua cura total ocorre em 24 hs.

Colas de Poliuretano

Esta cola altamente resistente é uma pasta âmbar vendida em tubos.
Ela forma uma liga muito forte semelhante a do epóxi.

As colas de poliuretano são recomendadas para uso em madeira, metal, cerâmica, vidro, maioria dos plásticos e fibra de vidro.

Elas secam com flexibilidade e pode ser usada em couro, tecido, borracha e vinil.

É necessário usar grampo por cerca de 2 horas; o tempo de cura é de aproximadamente 24 horas.

Depois de seca, a cola de poliuretano fica translúcida e pode ser pintada ou tingida.
Sua vida útil é curta e é um produto caro.


Colas ou selantes de Silicone

Colas e selantes de silicone são vendidos em tubos e são semelhantes ao silicone para calafetar. Eles formam ligas muito fortes e muito resistentes à água, com excelente resistência a altas e baixas temperaturas.

São recomendados para o uso em calhas e em materiais de construção, incluindo metal, vidro, fibra de vidro, borracha e madeira.
Podem também ser usados em tecidos, alguns plásticos e cerâmica.

Normalmente não é necessário usar grampo; o tempo de cura é de cerca de 24 horas, mas o adesivo forma uma película em menos de uma hora.

Os adesivos de silicone permanecem flexíveis depois de secos e são encontrados em cores claras, preto e metálicas.

Anúncios

Uma opinião sobre “Saiba qual cola certa usar para seu projeto”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s